Centro Espírita Amor a Jesus

R. Cap.José Neves Bicudo, 274 - Jacareí - São Paulo - BR

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Perdoa Sempre

E-mail

Perdoa sempre. Auxilia aos outros, sem a preocupação de receber o amparo alheio.
Tudo aquilo que fizermos agora, será aquilo que colheremos depois.
Consideremos, porém, que a fim de sanar os desajustes na engrenagem de nosso relacionamento recíproco, o Senhor nos concede a bênção da compaixão.
Se anotas a presença de amigos candidatos ao discernimento maior com as falhas naturais pelas quais se identificam, compadece-te deles e ampara-os com as forças ao teu alcance.

Abraça o trabalho do bem aos outros com alegria. 
Aprende a colocar com o bem do próximo, na convicção de que ninguém progride a sós.
Trabalha e serve constantemente.
E certifica-te de que, onde o pensamento positivo do bem prevaleça, aí brilha o caminho do aperfeiçoamento de nossa alma para Deus, fortalecendo-nos para que estejamos na realização do melhor.
Em qualquer situação difícil, aparentemente insolúvel, usa mais paciência, porque a paciência é construção da alma sobre os alicerces da fé em Deus e, aplicando mais paciência onde estiveres, em quaisquer tribulações que, porventura, te apareçam, claramente vencerás.

(Xavier, Francisco Cândido, Da obra: Caminho Iluminado. Ditado pelo Espírito Emmanuel) 

 

 PALESTRAS PÚBLICAS
Temas do Evangelho 
Segundo o Espiritismo


xAAOS SÁBADOS DAS 20 ÀS 21:05hxxx
(+passe, vibrações e prece)

Faça parte da nossa comunidade.
Conecte-se com o CEAJ.


HISTÓRIA DO
ESPIRITISMO

acesse aqui

Pensamento do Mês
- Março/20 -
"A prece é, pois, uma necessidade universal, independente das seitas e das nacionalidades. Depois da prece, se a pessoa é fraca, sente-se mais forte; se está triste, sente-se consolada. Tirar a prece é privar o homem de seu mais poderoso suporte moral na adversidade". 
(Allan Kardec)


"Às vezes, naquele minuto de oração deixamos de tomar uma atitude precipitada, de proferir uma palavra agressiva, de permitir que a cólera nos induza a qualquer atitude infeliz..."  (Chico Xavier)